sexta-feira, 3 de junho de 2011

O mundo é uma Bolsa

Pieter Bruegel, o Velho, A Parábola dos Cegos, 1568

O mundo é uma Bolsa. E, portanto, o jogo político, que tinha uma dimensão própria, é hoje o subproduto de um jogo muito mais profundo e radical, que é o das forças de transformação da sociedade, que são de ordem económica, financeira e científica. São elas que comandam tudo o resto. A política, nas sociedades que se querem democráticas, é apenas a maneira de utilizar esses meios da maneira mais aceitável. Mas o ímpeto, o motor da civilização em que estamos, não tem nada de democrático em si mesmo. É uma força cega, como se fosse uma força da natureza, ainda que seja humana. (…) Tudo passa pelos fins da máquina produtiva mundial, que se torna mais abstracta ainda por ser, fundamentalmente, do tipo financeiro. E é uma máquina que se vai destruindo a si própria.

Excerto de entrevista ao Professor Eduardo Lourenço, publicada integralmente aqui.


15 comentários:

  1. Não podia estar mais de acordo com o texto, especialmente com a parte final do seu trecho. Aliás, Eduardo Lourenço escreve com uma lucidez extraordinária.
    Gostei muito da associação com Pieter Bruegel, o velho, pois, é um pintor de minha eleição!
    Abraço e o desejo de um bom fim-de-semana!:)

    ResponderEliminar
  2. Ele tem a frieza e sabedoria necessárias para decompor a realidade tornando-a crua e duramente inteligível.

    ResponderEliminar
  3. Sim, infelizmente, o motor mais forte desta nossa sociedade decadente é o lucro imediato, o negócio privado, a exploração indiscriminada.
    Por outro lado, há ainda os resistentes, os que mantêm e defendem princípios éticos e de respeito pelos outros. Isso dá-nos força e esperança de que as coisas podem mudar...
    Justine

    ResponderEliminar
  4. Sara, não sei o que se passa mas não consigo enviar comentários com o meu URL! Algo ficou "marado" no Blogger desde o crash há umas semanas...
    Espero que a coisa se resolva:))
    Justine

    ResponderEliminar
  5. Quase estou de acordo com o exposto, mas estas mentes tão privilegiadas tinham que agir antes de, depois é certamente muito mais fácil emitir num juízo de valor.
    Para ti, um forte abraço

    ResponderEliminar
  6. Oi Sara
    Uma fala interessante e oportuna nesse momento de transição pela qual passam os portugueses .
    Mas que queremos nao seja da forma como ela pensa e sim uma democracia justa e humana .
    Que o voto de amanhã eleja o melhor pra Portugal
    Estou torcendo.
    deixo meu abraço

    ResponderEliminar
  7. Sara, que dizer? Acho que todos nós, aos poucos, vamos tendo consciência disso.
    Pertinente post, sem dúvida!

    Beijo :)

    ResponderEliminar
  8. Olá Sara

    O que mais me aflige é a pulsão especulativa a envolver e inquinar tudo e todos, a roçar a ganância.

    O comentário de Eduardo Lourenço é sábio.

    Desejo:
    Que possas voltar a comentar as edições no Guizo.
    SE continuares impedida e, sem abusar da tua paciência, quiseres enviar o comentário por mail, edita-lo-ei.
    Acrescento que a caixa de comentários está livre e sem qualquer inibição seja pra quem for com conta google.
    Lamento,profundamente.)

    Aceita o convite e visita o mano do Guizo:

    http://overdemaistenro.blogspot.com

    Bjs

    ResponderEliminar
  9. Política sempre me deixou indignada. Imagino que os portugueses estejam também. Ainda essa semana descobriu-se falcatruas de um político brasileiro que eu acreditava... doce ilusão. Eles visam o imediatismo, mas as causas deles, ou seja, roubo, corrupção.
    Nao conhecia esse "professor" de palavras sábias, fico feliz quando descubro um.
    E aquele dito popular usamos no Brasil também, acho muito conveniente.

    Tu viu que nossa amiga CF nos deixou? Snif!

    Bom domingo Sara, desejo um ótimo resultado nas eleicoes portuguesas, que vocês tenham sorte!

    ResponderEliminar
  10. Amiga Sara
    não tenho queda para o exilio,nem vontade de desistir do que me agrada...tenho de conseguir fazer tudo...lol
    As palavras sábias de EL vêm a propósito dos momentos em que vivemos...pena que esta máquina não seja trabalhada por engrenagens dentadas onde as peças se encaixam umas nas outras...já não seria tão negativo!
    Veremos se a escolha dos portugueses será a melhor para Portugal??? Dentro de uma Bolsa em que tudo parece ser mau, esperemos que surjam surpresas boas.
    P.S: para não seres mais anónima, vê se tens a opção "manter a sessão iniciada" logo ao fazer log in... retira a opção e experimenta a ver se resolve...comigo resultou.
    bjs grandes

    ResponderEliminar
  11. Absolutamente de acordo. No que toca à economia, como ouvi alguém dizer, não se trata de um poder escrupuloso, mas antes de uma 'economia de casino'. Julgo que raciocínio semelhante se pode aplicar ao mundo financeiro, e nem mesmo a ciência fica incólume no que concerne às violações da ética...

    Para lá de tudo isso, desejo-te o melhor!

    ResponderEliminar
  12. Sara, muito obrigada pela "dica"! Resultou mesmo:))))
    Extrapolando, às vezes é tão fácil resolver os problemas que tanto nos afligem...
    Abraço!

    ResponderEliminar