quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Le Mur pour la Paix

Em tempo de fortes convulsões no Médio Oriente, trago aqui a presença ainda próxima do “Le Mur pour la Paix”, uma obra concebida por Clara Harter e Jean-Michel Wilmotte. Estrategicamente colocada num local associado ao belicismo - no Champ de Mars, em frente à École Militaire -, a obra tem-se tornado um símbolo dos direitos humanos e, naturalmente, da paz, palavra que aí se encontra inscrita em 49 línguas diferentes.
À semelhança do Muro das Lamentações, no qual se inspira, também aqui é possível deixar mensagens pessoais, desta feita em prol da paz. Não deixei lá nenhuma, mas faço-o agora: Que o seu simbolismo derrube outros "muros", não permitindo que lutas justas se desvirtuem e se transformem em meios a servir interesses perversos e perigosos.


11 comentários:

  1. Oportuna postagem !
    Também tenho este MURO fotografado, mas tu conseguiste uma imagem (a de baixo) muito boa !

    Um beijo.

    ResponderEliminar
  2. Que a PAZ impere no MUNDO...

    Belo!!!

    Abraço solidário

    ResponderEliminar
  3. Não tive conhecimento desse novo monumento.
    Acho a ideia excelente.
    Esteticamente apelativa.
    Tenho de voltar a Paris.
    Bjs, Sara

    ResponderEliminar
  4. Belo muro e não o vi a última vez que estive em Paris.
    Pela paz!
    Abraço. :)

    ResponderEliminar
  5. Nao conhecia. A ver numa proxima vez! :-)
    Muito pertinente o teu post!
    Bjs!

    ResponderEliminar
  6. Há fotos que se revelam mesmo oportunas...e esta é uma delas!
    Paz precisa-se!
    Paz nos corações dos homens!
    (As fotos ficaram lindas! tou curiosa para ver as outras!;))

    ResponderEliminar
  7. Não há dúvida que vem muito a propósito. Subscrevo o JPD: tenho de voltar a Paris! :) Entretanto, podemos sempre dar uma 'escapadinhas' mais regionais ;)

    Beijinho.

    ResponderEliminar
  8. Que a paz impere nos corações dos Homens...
    Talvez seja este o ponto de partida para todas as outras manifestações de paz...
    Lindo monumento (prefiro não o chamar de "muro", lembram-me outros menos felizes).
    Gostei tb das fotos, mas isso já é habitual na fotografa.
    bjs

    ResponderEliminar
  9. Duplamente oportuno, o teu post: por aquilo que estamos a viver no Norte de África e um pouco por todo o lado, e porque a última vez que fui a Paris ainda não existia...mas para a semana vou conhecer o monumento e fotografá-lo:))))
    Abraços

    ResponderEliminar
  10. Eu acho que a paz começa do homem para consigo mesmo, é a respiração que oxigena a vida!

    Ainda nao conhecia esse monumento, tô encantada.

    ResponderEliminar